Concur anuncia expansão para o Brasil
12 de abril de 2017
SAP Hybris Cloud: entregue a experiência que seu cliente deseja
26 de abril de 2017
Exibir tudo

3 razões pelas quais o cientista de dados continua a ser o melhor trabalho na América

Por que a posição está em alta e continuará nos próximos anos?

Glassdoor revelou recentemente o seu relatório os 50 melhores empregos nos Estados Unidos, e sem surpresa, cientista de dados conquistou o primeiro lugar pelo segundo ano consecutivo. A pontuação é determinada por três fatores-chave: o número de vagas de emprego, o índice de satisfação no trabalho e o salário-base anual médio.

Com uma  pontuação de vagas disponíveis de 4,8 em 5, uma pontuação de satisfação no trabalho de 4,4 em 5 e um salário médio anual de 110 mil dólares, a profissão de cientista de dados conquistou o primeiro lugar, seguido por outros empregos de TI, como engenheiro de dados e engenheiro DevOps.

Na verdade, os papéis relacionados a dados também dominaram relatórios similares de empregos divulgados ao longo do ano passado. Um novo estudo realizado pela CareerCast.com revelou que a profissão de cientista dos dados têm o potencial de crescimento ainda maior nos próximos sete anos, principalmente, porque são um dos trabalhos os mais requisitados. Estatísticas da rjmetrics.com mostram que houve um crescimento de 11.400 para 19.400 cientistas de dados em 2015, e mais de 50% dessas posições foram preenchidas nos últimos quatro anos.

Uma busca rápida pelas posições de cientista dos dados nos Estados Unidos no LinkedIn revela cerca de 13.700 posições abertas. Além disso, esta ferramenta mostra que a demanda por cientistas de dados e a busca pelos recrutadores está em alta e uma tendência de interesse contínuo por ambos.

Estima-se que haverá um milhão de postos de trabalho a mais do que os funcionários para preencher essas posições nos próximos dez anos, de acordo com a Computer Science Zone. Então, como o papel do cientista de dados sobe para o topo da classificação? Vamos examinar algumas das razões e tendências que levaram a posição de cientista de dados ser reivindicada como o melhor trabalho na América novamente este ano.

Razão # 1: Há uma escassez de talento

Não só os indivíduos com habilidades em estatística e capacidade analítica são altamente procurados, mas também aqueles com as habilidades de capturar a demanda para realizar projetos envolvendo dados. Os líderes empresariais são profissionais que não só pode compreender os números, mas também comunicar suas conclusões de forma eficaz. Há uma falta de talento para combinar esses dois skills e mesmo assim os salários para os cientistas de dados são projetados para crescer mais de 6% somente esse ano.

Então, onde estão todos os cientistas de dados para preencher esses empregos? A resposta para esta pergunta é que eles não estão treinados ainda. Enquanto os programas de ciência da computação estão em ascensão, ainda vai levar algum tempo para a oferta acompanhar a demanda. Os cursos de big data e analytics começaram a surgir nas salas de aula apenas nos últimos dois anos, desta forma os talentos de ciência de dados não vão surgir da noite para o dia. O número de novas posições de trabalho certamente continuará a superar o número de profissionais com uma compreensão mais complexa de dados e análise para preencher essas vagas nos próximos dois anos.

Razão # 2: As organizações continuam a enfrentar enormes desafios na organização de dados

O papel do cientista de dados está evoluindo, e as organizações precisam desesperadamente de profissionais que possam assumir a organização de dados, bem como a preparação de dados para análise. Limpeza de dados e ferramentas de conexão para obter os dados em um formato utilizável ainda é altamente na demandada.

A preparação de dados pode ter um custo alto e exigir muitas etapas, desde a tradução de códigos de sistema específicos em dados utilizáveis ​​para o tratamento de dados incompletos ou errôneos, mas os custos de trabalhar com dados ruins são ainda mais altos. Algumas pesquisas mostram que a análise de dados ruins pode custar para organização mais de US $ 13 milhões por ano.

Portanto, sempre haverá uma demanda para os indivíduos que podem eliminar os dados ruins evitando resultados distorcidos ou insights imprecisos para uma organização. Não há dúvida de que é um trabalho demorado. Na verdade, a preparação de dados representa cerca de  80% do trabalho dos cientistas de dados. Mas mesmo com a disponibilidade crescente de painéis de análise altamente sofisticados e ferramentas de coleta de dados, sempre haverá uma demanda por profissionais que possuam os conjuntos avançados de habilidades necessárias para limpar e organizar dados antes de poder extrair insights valiosos dele.

Razão # 3: A necessidade de cientistas de dados não é mais restrita a gigantes da tecnologia

A demanda por cientistas de dados finalmente está além das grandes empresas de tecnologia, como o Google ou Facebook. As organizações menores percebem que eles também podem usar os dados para tomar decisões melhores. A HBR relatou que “as três empresas mais valiosas de seu negócio de atuação que utilizou a tomada de decisão baseada em dados foram, em média, 5% mais produtivo e 6% mais rentável do que seus concorrentes.”

Embora organizações de pequeno a médio porte não estejam produzindo quase tantos dados quanto as grandes empresas, peneirar esses dados para extrair conhecimentos significativos em seus negócios pode ser uma poderosa vantagem competitiva.

Nós também estamos vendo os cientistas de dados caminhando em direção a startups e pequenas empresas por causa da percepção de que eles serão capazes de enfrentar o trabalho de nível superior no início de suas carreiras. Os cientistas de dados possuem uma ampla gama de habilidades, e eles querem ser capazes de colocar todas essas habilidades para serem utilizadas imediatamente.

Pequenas empresas também estão contratando rápido. As grandes organizações que pretendem recrutar cientistas de dados estão cientes de que os processos de contratação e recrutamento podem necessitar de alguma atualização se pretenderem atrair os melhores talentos. Por enquanto, à medida que a demanda por profissionais de dados continua a crescer, as organizações ágeis continuam sendo a melhor escolha para os cientistas de dados, independentemente do seu tamanho.

Como entrar no campo

A demanda por cientistas de dados é alta, e os profissionais podem entrar no mundo da ciência de dados de várias maneiras. Programas universitários são um bom começo, mas uma posição de cientista de dados muitas vezes requer uma mistura de habilidades que muitas escolas são incapazes de prover.

Uma maneira de desenvolver todas as habilidades necessárias é participar de um bootcamp de ciência dados. Você não só aprenderá as habilidades analíticas necessárias para uma posição de cientista de dados, mas também receberá treinamento para as habilidades mais simples que estão se tornando mais comuns para a profissão – habilidades como gerenciar projetos e equipes em vários departamentos, como lidar com clientes, auxiliando no desenvolvimento de negócios, levando questões abstratas de negócios e transformando-as em soluções analíticas.

Então, se você ainda está decidindo caminho certo, ou pensando em fazer uma mudança de carreira em 2017, considere explorar o que é preciso para ser um cientista de dados – um dos empregos de mais rápido crescimento e mais bem remunerados na América no momento.

Por InfoWorld (traduzido por Thiago Lima)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *